413236-3158 / 3079-5158
Subaru, Honda, Suzuki, Toyota, Mitsubishi, Nissan

Blobby ou Borra de óleo

 

Blobby ou borra no motorborra-bmw-330

 

Texto tirado do site Oficina Brasil:

Texto: Ronie Dotzlaw
Foto: Divulgação
Borra de óleo: os novos males dos motores

Apesar de serem conhecidas há muito tempo pelos mecânicos reparadores, a incidência de borra de óleo e carbonização interna nos motores dos veículos que rodam no Brasil tem crescido muito nos últimos 10 anos. Sua ocorrência é maior nos motores mais modernos, que exigem mais atenção na manutenção. Os resultados de sua ocorrência são drásticos e podem significar sérios prejuízos ao dono do carro.

Um grande fator para essa epidemia é a adulteração de combustível que vem se tornando muito freqüente no Brasil por isso, vale a pena prestar atenção no local em que você abastece o veículo. Mas sabemos também que esse não é o único fator para a incidência desse mal, acompanhe abaixo algumas dicas de como evitar esse dano e como que ele se forma no motor.

Borra de óleo

A borra de óleo é uma espécie de pasta esbranquiçada que aparece em todas as peças do motor, menos na câmara de combustão onde o óleo lubrificante foi transformado, porém, é difícil compreender como os lubrificantes atuais, que possuem alta tecnologia, chegam a esse ponto.

A borra no motor de um automóvel ocorre quando as moléculas do lubrificante são divididas e se recombinam, isso acontece devido a dois fatores principais: incidência de água no cárter e presença de solventes no combustível.

O aparecimento de água no cárter não significa que haja algum vazamento interno, pois atualmente os motores trabalham em temperaturas mais altas aquecendo o ar que circula dentro deles. Quando desligamos o veículo por longos períodos, o ar aquecido se condensa formando gotículas de água, assim como a mistura ar-combustível dentro do cilindro, e essa condensação acaba chegando ao óleo que está no cárter.

Quando o motor volta a trabalhar, os líquidos que estão depositados junto ao óleo lubrificante são bombeados por meio da tubulação de óleo, assim a presença de solventes separa as moléculas do lubrificante e as recombina com as moléculas do solvente mais as de água. Além disso, os motores atuais trabalham com folgas menores, assim o óleo trabalha com pressões mais altas, fazendo com que todos os líquidos que estejam no cárter sejam misturados de forma homogênea, criando a maléfica borra.

Um ponto que devemos levar em consideração é a evolução das adulterações feitas nos combustíveis. Atualmente, essas adulterações são tão “bem realizadas” que o motorista roda muito tempo e não percebe os problemas que podem acontecer no motor ao contrário do que acontecia há alguns anos, quando a qualidade do combustível era percebida imediatamente e, muitas vezes, o veículo não saía do posto de abastecimento.

Diagnóstico e Correção

Veículos que apresentam borra em seus motores geralmente tem, inicialmente, dificuldade em partidas, batida de tucho &ndash se o mesmo for hidráulico &ndash e acendimento esporádico da luz de pressão de óleo durante o seu funcionamento.

Para diagnosticar rapidamente a presença de borra no motor de um veículo, basta olhar a parte interna da tampa de abastecimento de óleo, que geralmente fica localizada na tampa de válvulas. Caso ainda haja alguma dúvida, o melhor é remover a própria tampa de válvulas e o cárter de óleo, pois esse procedimento mostrará com certeza se o motor está ou não contaminado.

Quando um motor está contaminado por borra de óleo não há como prevermos qual a extensão dessa contaminação por isso, o melhor procedimento nesses casos é a desmontagem total do motor, limpeza de todas as peças, encaminhar o cabeçote e bloco para uma retífica e realizar a lavagem química desses componentes. Após esse procedimento, verifique se há necessidade de retificar ou substituir mais algum item, dessa forma procedendo com a montagem, sempre seguindo as especificações do fabricante e aplicando novo jogo de juntas.

Para isso, vale algumas dicas:

A manutenção preventiva é a melhor maneira de poupar dinheiro

Sempre utilize o óleo recomendado pelo fabricante do motor

Evite colocar aditivos no óleo lubrificante, pois esse pode conter produtos que inibam a ação dos aditivos já contidos no óleo principal

Reduza os prazos de troca de óleo, pois será mais fácil monitorar qualquer tipo de formação, seja de borra ou carbonização

Caso seja inevitável trafegar por locais alagados,  substitua todo o óleo lubrificante apos o ocorrido.

Substitua o filtro de óleo em todas as trocas de óleo, pois esse componente tem um custo muito baixo perto do trabalho de retífica de um motor.

 

 

 

4 Responses

  1. admin

    Thank’s my friend for your rating and I’m glad that you liked the content of our site!!
    the people really like website and the information contained in it !!
    see you soon !!
    Jocelito

  2. admin

    I’m glad you found what you were looking for !!

  3. An outstanding share! I’ve just forwarded this onto a coworker who had been conducting a little research on this.
    And he actually bought me dinner because I found it for him…
    lol. So let me reword this…. Thanks for the meal!!

    But yeah, thanx for spending the time to discuss this subject here on your website.

    • admin

      Hello Friend !! I’m glad that my post has helped your friend and you indirectly.
      graciously
      Jocelito

Leave a comment