413236-3158 / 3079-5158
Subaru, Honda, Suzuki, Toyota, Mitsubishi, Nissan

Carbonização do motor

 

admissão-suja-de-oleocoletor carbonizadovelas carbonizadas

Como ocorre a carbonização do motor e como podemos evitar este mal para o nosso carro:

Carbonização

A carbonização é a formação de depósitos escuros, porém, em vez de serem pastosos, como ocorre na borra, esses são secos e muito duros, difíceis até mesmo para serem removidos. A carbonização aparece principalmente na câmara de combustão e na região do cabeçote.

Para ser formada, a carbonização depende, também, de dois fatores: altas temperaturas e combustível de má qualidade.

A carbonização é uma capa dura e muito aderente, composta pela recombinação das moléculas de combustível e óleo lubrificante, que se forma na cabeça do pistão, canaletas dos anéis, válvulas, haste de válvulas, câmara de combustão e, em casos mais graves, chega a comprometer todo o funcionamento do cabeçote.

Diagnóstico e correção

Motores que apresentam carbonização têm como principal característica a pré-detonação em todas as fases de funcionamento. Em casos graves, os anéis ficam engripados dentro de suas canaletas e o motor perde compressão já em casos piores, a carbonização se forma atrás dos anéis e as camisas são desgastadas precocemente.

Uma forma de perceber se há carbonização em um motor é retirar a vela de ignição ou o coletor de escape, pois caso haja depósitos nesses lugares, fica evidente que haverá também dentro do motor.

Sua correção é feita retirando cabeçote, pistões, limpando todas as peças e efetuando medições, principalmente nos cilindros. Encaminhe o cabeçote para uma retífica, se necessário, e remonte todo o motor, não se esquecendo de trocar todas as juntas do motor. Ou ainda procedendo uma descarbonização química sem desmontagem do motor.

Evitando o problema

Como vimos, existem características em comum nesses dois problemas, porém, há ainda outros fatores que colaboram para a formação desses males:

Combustível adulterado

Ultrapassar o prazo recomendado para a troca de óleo

Mistura de diversos tipos de óleo lubrificante

Adição de aditivos no óleo lubrificante

Falta de manutenção, especialmente no motor do veículo

Utilização de óleos de especificação não-recomendada pelo fabricante do motor

Trafegar por locais alagados, ou ter o veículo atingido por enchentes.

A melhor maneira de solucionar a formação dessas enfermidades no motor é realmente evitar que o seu processo seja iniciado.

Para isso, vale algumas dicas:

A manutenção preventiva é a melhor maneira de poupar dinheiro

Sempre utilize o óleo recomendado pelo fabricante do motor

Evite colocar aditivos no óleo lubrificante, pois esse pode conter produtos que inibam a ação dos aditivos já contidos no óleo principal

Reduza os prazos de troca de óleo, pois será mais fácil monitorar qualquer tipo de formação, seja de borra ou carbonização

Caso seja inevitável trafegar por locais alagados,  substitua todo o óleo lubrificante apos o ocorrido.

Substitua o filtro de óleo em todas as trocas de óleo, pois esse componente tem um custo muito baixo perto do trabalho de retífica de um motor.

 

No Comments Yet.

Leave a comment